CONHEÇA OS PASSOS DA METODOLOGIA MAPBIOMAS ALERTA

Abaixo você encontra as principais características, a forma de organização do trabalho e a visão geral da metodologia do MapBiomas Alerta (v. Beta) para validar e refinar com imagens de alta resolução alertas de desmatamento dos biomas brasileiros.

Os ATBD (Documento Base da Teoria do Algoritmo) com toda descrição de metodologia e algoritmos serão disponibilizados ao longo do primeiro semestre de 2019.

CARACTERÍSTICAS GERAIS

Todos os alertas e respectivos laudos de desmatamento são produzidos a partir da análise e classificação supervisionada de imagens de satélites Planet de 3 m de resolução e frequência diária.

Todo processo é feito com extensivo uso de algoritmos de aprendizagem de máquina (machine learning) através da plataforma Google Earth Engine que oferece imensa capacidade de processamento na nuvem.

O trabalho é organizado em células (tiles) de 5 x 5 km. A definição das células/tiles a serem analisadas é feita a partir dos alertas de desmatamento gerados pelos sistemas DETER/INPE (Amazônia e Cerrado), SAD/IMAZON (Amazônia) e GLAD/Universidade de Maryland (demais biomas).

COMO NOS ORGANIZAMOS

Para realizar a validação e o refinamento dos alertas as equipes de programadores, especialistas de sensoriamento remoto e especialistas em conservação e uso da terra são organizados em times para cada bioma e suporte de tecnologia e sistemas.

como nos organizamos

VISÃO GERAL DA METODOLOGIA

O diagrama abaixo ilustra as etapas principais do processo de validação e refinamento dos alertas de desmatamento nos biomas brasileiros.

Veja mais

FONTE DOS DADOS CRUZADOS

Os alertas são cruzados com informações fundiárias e de fiscalização, como territórios indígenas, unidades de conservação , assentamentos, áreas do Cadastro Ambiental Rural (CAR), entre elas Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reserva Legal (RL), além de áreas de embargos, autorizações de supressão e plano de manejo florestal do Sinaflor do Ibama. Também são localizados os alertas em limites geográficos como municípios, estados, biomas e bacia hidrográfica.

Os alertas podem ser visualizados em diferentes mapas base (planos de fundo), como em imagens do Google Earth (sem data associada), Google Maps 2D e mapas anuais de cobertura e uso da terra do Brasil entre 2012 a 2017 do MapBiomas (Coleção 3).

Essas informações qualificam os alertas e complementam os laudos com informações relevantes para os órgãos usuários.

Camada Ano Descrição Referência Download
Países 2015 Mapa do Brasil (fronteira política) IBGE, 2015 get_app
Estados 2015 Mapa dos Estados do Brasil IBGE, 2015 get_app
Municípios 2015 Mapa dos Municípios do Brasil IBGE, 2015 get_app
Biomas 2016 Mapa de biomas brasileiros em escala 1:5.000.000 (IBGE, 2004) refinado com Mapa de vegetação do Radam para escala 1:1.000.000 e limites estaduais em escala 1:250.000 (IBGE, 2015) MapBiomas, 2016 get_app
Regiões hidrográficas Mapa de bacias hidrográficas nível 1, escala 1:1.000.000 ANA get_app
Bacias hidrográficas Mapa de bacias hidrográficas nível 2, escala 1:1.000.000 ANA get_app
Terras Indígenas 2017 Mapa das Terras Indígenas do Brasil ISA, 2017 get_app
Unidades de Conservação 2017 Mapa das Unidades de Conservação do Brasil ISA, 2017 get_app
Assentamentos 2017 Mapa de assentamentos INCRA, 2017 get_app
CAR 2018 Áreas do Cadastro Ambiental Rural Serviço Florestal, 2018 get_app
Embargo e autorizações 2018 Área de Embargo e autorizações de supressão e manejo florestal Sinaflor /IBAMA, 2018 get_app

O QUE SÃO AS IMAGENS PLANET?

As imagens PlanetScope provém de uma constelação de +130 satélites capazes de registrar diariamente toda a superfície terrestre da Terra (equivale a uma capacidade de coleta de 340 milhões de km² / dia) com resolução espacial de 3 m e quatro bandas espectrais.

Para cada alerta, são selecionadas e ativadas dezenas de imagens em uma célula de 5 x 5 km. Desse total de dados, são selecionadas duas imagens, uma antes e outra depois do desmatamento, registrando o identificador do satélite, data e hora da aquisição.