Perguntas frequentes

Não se trata de um novo sistema de alertas, mas um esforço para potencializar a usabilidade e eficácia dos alertas já gerados. Essa proposta é uma construção coletiva baseada em consulta com os usuários (MMA, IBAMA, SFB, ICMBio, MPF, etc) e provedores de alertas (INPE, Universidade de Maryland, IMAZON, Censipam, ISA etc).
Os sistemas existentes identificam os alertas a partir da análise em larga escala de imagens de satélite de média resolução (20 a 250 m de resolução). Essas imagens tem frequência semanal ou quinzenal e permitem identificar desmatamentos, mas sem muitas opções para analisar ao nível de propriedades devido a resolução e baixa frequência de aquisição das imagens. No MapBiomas Alerta os alertas de desmatamento produzidos pelas diversas iniciativas de monitoramento são reunidos, validados e detalhados com base nas imagens diárias de 3 m de resolução. Cada alerta gerado é acompanhado de uma imagem de alta resolução de antes e depois do desmatamento (o que produz um efeito parecido com a foto da placa do veículo de um auto de infração de trânsito).
São utilizadas imagens diárias de 3 m de resolução e frequência diária da constelação de 200+ micro-satélites da Planet, uma start-up com sede em São Francisco representada comercialmente no Brasil pela SCCON (Santiago & Cintra Consultoria).
A maioria dos polígonos de alertas validados de desmatamento do MapBiomas é produzida a partir do treinamento de algoritmos de aprendizagem de máquina que capturam os desmatamentos e alterações da cobertura natural com precisão. Durante o processamento dos alertas são realizadas operações de filtragem para suavizar o perímetro e reduzir o número de vértices.
O Laudo de Desmatamento é um documento que agrega informação ao alerta para permitir uma análise direta e rápida sobre a natureza do desmatamento observado. Para cada CAR (Cadastro Ambiental Rural), ou outra unidade territorial na ausência dele, é identificado o alerta com imagens em alta resolução de antes e depois do desmatamento seguido de informações complementares, como: - sobreposição de alerta de desmatamento com áreas protegidas (Unidades de Conservação e Territórios Indígenas), APP (Área de Preservação Permanente) e RL (Reserva Legal). - sobreposição de alerta com área de embargo. - existência de autorização de supressão vegetal vigente. - histórico do uso da terra no MapBiomas nos últimos 6 anos. - vértices do polígono do alerta.
Todo material esta disponível no site do http://alertas.mapbiomas.org
Sim, é possível acessar os laudos e dados através de uma API. É um serviço customizado. Para solicitar acesso para sua instituição escreva para contato@mapbiomas.org.
Os dados dos titulares dos imóveis cadastrados no CAR, como nome e CPF/CNPJ, não estão disponíveis ao público no SICAR (Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural).
Não diretamente. Esta função só pode ser atribuída aos órgãos governamentais competentes do SISNAMA (Sistema Nacional do Meio Ambiente). Por outro lado, o laudo contém informações que subsidiam a identificação das áreas ilegais, por exemplo: (i) identifica se há autorização de supressão de vegetação vigente associada à área; (ii) identifica se há desmatamento em áreas declaradas de APP ou RL; (iii) identifica se há sobreposição com áreas protegidas.
No momento não. Na versão beta do MapBiomas Alerta é feita uma pré-seleção dos alertas com base em uma série de critérios como tamanho, localização e histórico de uso do solo para priorizar os alertas a serem avaliados. Para cada alerta selecionado é avaliado por completo em uma célula/tile de 5 x 5 km das imagens de satélite diárias de até seis meses anteriores a detecção do alerta pelos sistemas existentes.