PERGUNTAS FREQUENTES

1. MapBiomas é mais um sistema de alertas de desmatamento?

Não se trata de um novo sistema de alertas, mas um esforço para potencializar a usabilidade e eficácia dos alertas já gerados. Essa proposta é uma construção coletiva baseada em consulta com os usuários (MMA, IBAMA, SFB, ICMBio, MPF, etc) e provedores de alertas (INPE, Universidade de Maryland, IMAZON, ISA etc).

2. Qual a diferença dos alertas gerados pelos sistemas existentes como DETER/INPE e os alertas validados do MapBiomas?

Os sistemas existentes identificam os alertas a partir da análise em larga escala de imagens de satélite de média resolução (20 a 250 m de resolução). Essas imagens tem frequência semanal ou quinzenal e permitem identificar desmatamentos, mas sem muitas opções para analisar ao nível de propriedades devido a resolução e baixa frequência de aquisição das imagens.

No MapBiomas Alerta os alertas de desmatamento produzidos pelas diversas iniciativas de monitoramento são reunidos, validados e detalhados com base nas imagens diárias de 3 m de resolução. Cada alerta gerado é acompanhado de uma imagem de alta resolução de antes e depois do desmatamento (o que produz um efeito parecido com a foto da placa do veículo de um auto de infração de trânsito).

3. Quais imagens de satélites são utilizadas para validar os alertas?

São utilizadas imagens diárias de 3 m de resolução e frequência diária da constelação de 200+ micro-satélites da Planet, uma start-up com sede em São Francisco representada comercialmente no Brasil pela SSCON (Santiago & Cintra Consultoria).

4. Por que os polígonos dos alertas às vezes tem a borda com inúmeros vértices?

A maioria dos polígonos de alertas validados de desmatamento do MapBiomas é produzida a partir do treinamento de algoritmos de aprendizagem de máquina que capturam os desmatamentos e alterações da cobertura natural com precisão. Durante o processamento dos alertas são realizadas operações de filtragem para suavizar o perímetro e reduzir o número de vértices.

5. O que são os laudos de desmatamento? Para que servem?

O Laudo de Desmatamento é um documento que agrega informação ao alerta para permitir uma análise direta e rápida sobre a natureza do desmatamento observado. Para cada CAR (Cadastro Ambiental Rural), ou outra unidade territorial na ausência dele, é identificado o alerta com imagens em alta resolução de antes e depois do desmatamento seguido de informações complementares, como:

  • Sobreposição de alerta de desmatamento com áreas protegidas (Unidades de Conservação e Territórios Indígenas), APP (Área de Preservação Permanente) e RL (Reserva Legal).
  • Sobreposição de alerta com área de embargo.
  • Existência de autorização de supressão vegetal vigente.
  • Histórico do uso da terra no MapBiomas nos últimos 6 anos.
  • Vértices do polígono do alerta.

6. Como faço para acessar os alertas validados e os laudos?

Todo material esta disponível no site do http://alertas.mapbiomas.org

7. É possível acessar os laudos e alertas através de serviço de dados?

Sim, é possível acessar os laudos e dados através de uma API. É um serviço customizado. Para solicitar acesso para sua instituição escreva para contato@mapbiomas.org.

8. Porque os laudos não identificam o nome dos proprietários das áreas registradas no CAR?

Os dados dos titulares dos imóveis cadastrados no CAR, como nome e CPF/CNPJ, não estão disponíveis ao público no SICAR (Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural).

9. Os laudos identificam se é um desmatamento legal ou ilegal?

Não diretamente. Esta função só pode ser atribuída aos órgãos governamentais competentes do SISNAMA (Sistema Nacional do Meio Ambiente). Por outro lado, o laudo contém informações que subsidiam a identificação das áreas ilegais, por exemplo: (i) identifica se há autorização de supressão de vegetação vigente associada à área; (ii) identifica se há desmatamento em áreas declaradas de APP ou RL; (iii) identifica se há sobreposição com áreas protegidas.

10. Todos os alertas do DETER, SAD e GLAD são validados?

No momento não. Na versão beta do MapBiomas Alerta é feita uma pré-seleção dos alertas com base em uma série de critérios como tamanho, localização e histórico de uso do solo para priorizar os alertas a serem avaliados.

Para cada alerta selecionado é avaliado por completo em uma célula/tile de 5 x 5 km das imagens de satélite diárias de até seis meses anteriores a detecção do alerta pelos sistemas existentes.